Amazônia, sua riqueza, seus desafios

A maior floresta tropical e maior reservatório de água doce do mundo, a Amazônia é hoje uma das Grandes Regiões Naturais do planeta, tendo boa parte de sua vegetação preservada, além de uma vasta diversidade de fauna e flora. Com baixa densidade demográfica, a região é um importante laboratório natural para pesquisas, além de atrair diversas atividades extrativistas.

A Amazônia é o maior bioma brasileiro em extensão, o que corresponde, segundo o IBGE, a uma ocupação de 49% (4.196.943 km2) da área total do país. Para se ter uma ideia do que isso quer dizer, essa área se equivale, aproximadamente, a 16 vezes o tamanho do estado de São Paulo. Sua abrangência territorial reúne a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Roraima e ainda parte de Rondônia, Maranhão, Tocantins e Mato Grosso.

O bioma detém um terço das reservas de florestas tropicais e o maior banco de diversidade biológica do mundo, além de um patrimônio mineral não mensurado. Acredita-se que a Amazônia absorve e armazena grande quantidade de carbono e tenha um importante papel no equilíbrio climático global.

A bacia amazônica ainda abriga a maior rede hidrográfica do planeta e escoa cerca de um quinto do volume de água doce do mundo, sendo 60% em território brasileiro. Segundo um estudo comparativo da Conservação Internacional (CI), só a Bacia do Rio Negro, um dos afluentes do Amazonas, tem mais água doce do que a soma dos rios de toda a Europa.

Há vários tipos de paisagem na Amazônia, como as florestas das terras altas, as matas de várzea e igapós, que são constantemente alagadas, e as matas de transição, que são constituídas por muitas gramíneas e árvores de pequeno porte espaçadas e se encontram no limiar de outros biomas. Essa variedade de ambientes e suas condições específicas fazem com que a Amazônia apresente a maior variedade de espécies de aves, primatas, roedores, répteis, anfíbios, insetos e peixes de água doce do mundo. E isso porque as pesquisas para levantamento da biodiversidade deste bioma começaram de maneira sistemática há menos de 50 anos.

 

Quase 70% das espécies de mamíferos existentes no Brasil vivem na Amazônia, entre elas a onça-pintada, a suçuarana, o veado, a capivara e o boto cor-de-rosa. Estima-se que pelo menos um terço das espécies de insetos existentes no planeta esteja no bioma, o que representa cerca de 10 milhões. Em relação ao número de peixes, só no Rio Negro, já foram catalogadas 450 dessas espécies, de um total de duas mil espécies estimadas na região. A Amazônia também é o maior habitat de répteis do mundo e abriga, pelo menos, 50 espécies em extinção.

A diversidade biológica da Amazônia está sob forte ameaça. Dentre os vários fatores que põe em risco o bioma, destaca-se a contaminação dos rios e solos por metais pesados, principalmente o mercúrio usado em atividades de garimpo e, principalmente, o desmatamento desenfreado causado pelo uso irregular do solo em atividades agropecuárias e a exploração ilegal da madeira.

De acordo com o último relatório anual do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre o desmatamento na Amazônia, foi devastada uma área de 6.451 km2, taxa projetada para o período 2009/2010 pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes) e que equivale a mais de 4 vezes o território do município de São Paulo.

De acordo com o Inpe, os índices de desmatamento são puxados pelos grandes plantadores de soja e pecuaristas e também pelo alagamento de floresta ligado a grandes obras de infraestrutura, como a Usina Hidrelétrica de Jirau, que está em construção no rio Madeira. Esquemas de grilagem, a ação predatória das madeireiras ilegais, a falta de incentivos em escala para atividades sustentáveis, o excesso de burocracia e a corrupção nos órgãos ambientais também são fatores que colaboram para a redução das áreas de floresta nativa na Amazônia.

A Amazônia é um bioma de oportunidades para o Brasil e o mundo. Os serviços ambientais (ou serviços ecossistêmicos) providos pela floresta garantem uma ampla gama de benefícios à humanidade, principalmente porque a Amazônia possui o maior volume de água doce do mundo e contribui diretamente para o equilíbrio climático do planeta, fatores fundamentais para a manutenção das condições de vida de muitas espécies na Terra. Proteger e conservar o bioma amazônico é uma grande responsabilidade que deve ser compartilhada entre nações, governos, empresas e a sociedade civil.

Realização

  

Parceiro

Apoio

Apoio Institucional

                                                                                                                                                                 

Educação Executiva Presencial, Customizada e a Distância

                                                                                                                                                70 Anos FGV            FGV Notícias         FGV News