Capacitar para Preservar - profissionais da construção civil aprendem como adquirir madeira legal

Começou no dia 24 de Abril, o curso de capacitação que promove a cultura de consumo da madeira legal no setor da construção civil. Promovido pelo WWF-Brasil, em conjunto com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), e a Rede Amigos da Amazônia, o encontro, que aconteceu na sede do SindusCon-SP, é desenvolvido em quatro módulos ao longo do ano.

No primeiro módulo, foram abordados temas básicos, como os conceitos de madeira legal e como identificá-la. Apresentado pelo analista ambiental Ricardo Russo do WWF-Brasil, o curso obteve a participação de diversas construtoras e profissionais do mercado, que aprenderam como elaborar uma política de compras de produtos florestais por parte das empresas.

As atividades iniciadas fazem parte da capacitação da segunda turma do Aquisição Sustentável de Madeira na Construção Civil, a primeira aconteceu entre 2010 e 2011. Ricardo afirma ter gostado da participação dos profissionais e acrescentou que “é importante que criemos uma política de compra responsável por parte das empresas consumidoras de madeira para que, posteriormente, com um plano de ação possamos forçar uma mudança por parte dos produtores”.

Já para a engenheira de qualidade e meio-ambiente da Camargo Correa, Kelly Vivanco, o curso “é muito válido e está bem inserido nas propostas de melhoria no processo de compra de madeiras e redução de impactos”, afirma. Para ela, além dos encontros, “é importante manter o contato entre os módulos do curso para que se possa acompanhar o processo de produção do Plano de Ação, e também ter uma continuidade nas discussões”

A coordenadora técnica do Comitê de Meio Ambiente do SindusCon-SP, Lilian Sarrouf, disse que o Estado de São Paulo, hoje, é tido como o maior consumidor de madeira do País. “Daí a importância de discutir o tema neste mercado. Além disso, existe um movimento muito forte, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente de São Paulo, de fiscalização e combate à madeira ilegal”, conclui.

Plano de Ação:

Durante as atividades deste primeiro módulo foi demonstrado aos participantes exemplos e os procedimentos para se criar uma “política de compra responsável de produtos florestais”. Após a criação desta politica o objetivo é desenvolver um plano de ação, com o qual se pretende implantar medidas que capacitem as empresas na obtenção da madeira.

O plano de ação é para um período médio de cinco anos. Durante este período as empresas devem adotar medidas de mudanças e gerenciamentos na compra da madeira, para que, gradativamente, o uso da madeira ilegal seja substituído pelo da madeira legal.

Próximos eventos do curso:

 

MÓDULO 2 – O PAPEL DO GOVERNO – 19 DE JUNHO 2013

- Apresentação dos principais pontos da regulamentação que as empresas devem atender.
- Sistema de controle no Estado de São Paulo visando coibir a entrada e o uso de madeira ilegal;
- Apresentação do cadastro técnico federal e do sistema DOF;
- Como evitar o consumo de madeira ilegal.

MÓDULO 3 - AVALIAÇÃO DO ANDAMENTO DOS TRABALHOS – 21 DE AGOSTO 2013

- Apresentação dos resultados obtidos pelas empresas visando a troca de experiências.
- Monitoramento do Plano de Ação;
- Avaliação do perfil dos fornecedores e da origem da madeira antes e depois do Programa;
- Definição de ações para conclusão do Programa;
- Desafios e oportunidades futuras.

MÓDULO 4 - CONCLUSÃO DOS TRABALHOS E GRADUAÇÃO DA TURMA – 23 DE OUTUBRO 2013

- Apresentação dos resultados finais obtidos pelas empresas.
- Orientação para participação e uso das ferramentas de comunicação da rede WWF-GFTN para divulgação ao mercado e clientes da atuação responsável das empresas.

Realização

  

Parceiro

Apoio

Apoio Institucional

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede