Começa diálogos para melhorias no Setor Florestal

I Encontro da Mesa Redonda da Madeira Tropical reuniu atores e operadores da cadeia da madeira em prol de um pacto setorial para o setor

Com a presença de representantes de diversos setores da economia florestal brasileira, entre órgãos do governo, da sociedade civil, do setor privado e de sindicatos da madeira, aconteceu no dia 10 de julho, o I Encontro da Mesa Redonda da Madeira Tropical Sustentável. O evento, organizado e facilitado pela Rede Amigos da Amazônia (RAA), em parceria com o WWF-Brasil e a Traffic, tem como objetivo, de uma forma geral, fortalecer o setor garantindo a formação de um modelo de governança entre todos os atores que influenciam o mercado de madeira tropical sustentável no Brasil.

“Esse foi apenas o primeiro passo de uma série que está por vir”, afirma Ricardo Russo, analista de conservação da WWF-Brasil. “Acreditamos que o primeiro encontro da Mesa Redonda teve um impacto muito positivo. O grande mérito foi juntar representantes de todos os elos da cadeia, entre produtores florestais, desde cooperativas comunitárias certificadas até empresas certificadas, sindicatos de classe, empresas do setor de construção civil e OnGs, para discutir uma ação articulada que eleve o patamar da cadeia”, avalia Russo.

Durante o evento foi dada a oportunidade a todos os participantes de falarem sobre os problemas que enfrentam no setor em que atuam, e também apontar caminhos para solucionar esses problemas. Foram levantados diversos “gargalos” que evidenciam a necessidade de uma reestruturação do setor. Entre eles destacam-se problemas que vão desde a extração, e que passam pela fiscalização, transporte e tributação da madeira. Outro grande gargalo, segundo algumas organizações, é a falta de informações disponíveis e de transparência no setor, além da implementação efetiva de políticas públicas que fomentem o mercado legal.

A secretaria executiva da RAA, Thais Megid, enfatiza que “este foi um importante pontapé inicial de um longo trabalho que trará muitos frutos para o setor”. E aponta alguns importantes encaminhamentos deste inicio de processo: “Como resultado concreto deste I Encontro destaca-se a organização de dois grupos de trabalho: o primeiro para discutir assuntos a respeito de um acordo setorial e o outro para trabalhar propostas de políticas públicas para o setor”, conclui. Estes dois grupos trabalharam de forma paralela de forma que um não interfira no trabalho do outro. É desses grupos que se esperam propostas de soluções para os problemas apontados.

A formação desses dois grupos de trabalho foi bem recebida pelos participantes. “Este já é um grande passo que já demos”, afirma Rafik Saab Filho, executivo do Sindicato do Comercio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (Sindimasp). “São pessoas sérias que estão à frente dos grupos, que se importam e querem o melhor para o setor. Por isso digo que está em boas mãos. Vamos focar para trabalhar de forma dinâmica e conseguir mais avanços” analisa.

São esperadas novas reuniões deste primeiro ciclo de encontros, das quais se esperam novos resultados positivos. “A expectativa é que nos próximos encontros possamos firmar ainda mais as propostas sugeridas pelo grupo, além de aprofundar a estratégia de relação entre empresas, participantes e governo. A ideia é que possamos trabalhar as ações sugeridas de forma coordenada e não em separado, o que enfraqueceria o setor” avalia Ricardo Russo.

A Mesa Redonda da Madeira Tropical Sustentável também possui o apoio da Comissão Europeia, do World Resources Institute (WRI) e da Forest Legality Alliance (FLA).

Próximos Encontros

Nos dois primeiros encontros a ideia é elaborar uma proposta de um pacto setorial envolvendo os atores e operadores dos diversos elos da cadeia da madeira. Também se pretende revisar os pontos importantes da proposta de mudanças na política florestal do Brasil, além de organizar um modelo interno de governança do setor que seja encaminhado para aos órgãos do governo federal.

Já os demais encontros serão a oportunidade de diálogo e negociação com os governos estaduais e federal sobre os aspectos políticos do setor florestal no país e os cenários e perspectivas de mudanças do mercado da madeira tropical sustentável no Brasil e no exterior. Além disso, serão feitos os encaminhamentos de propostas de viabilização do mercado de madeira tropical sustentável.

Próximo ao terceiro encontro, acontecerá um encontro paralelo, em parceria com o World Resource Institute, com presença de atores internacionais da União Europeia, governo e empresas dos EUA e países da América Latina, a fim de promover a troca de experiências e discutir desafios e oportunidades para a governança e sustentabilidade da madeira tropical no comércio internacional.

Confira a programação completa abaixo:

●     Encontro 1 - Data: 10 de julho de 2013 (Fundação Getulio Vargas – São Paulo).

●     Encontro 2 - Setembro de 2013 (Local ainda não definido)

●     Encontro 3 - Outubro de 2013 (Brasília)

●     Encontro 4 - Novembro de 2013 (Fundação Getúlio Vargas – São Paulo)

 

Mais informações em www.raa.fgv.br
Informações para a imprensa:

GWA Comunicação Integrada

Tel.: (11) 3030-3000

Kelly Souza – kelly.souza@gwacom.com – (11) 96620-2234

Lilian Araújo – lilian@gwacom.com – (11) 97171-7138

Vanessa Fontes – vanessafontes@gwacom.com – (11) 99257-6965

Realização

  

Parceiro

Apoio

Apoio Institucional

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede