Eventos sobre meio ambiente na pauta das ações de compras sutentáveis

 

ENSP, 10/05/2011 

A chefe do Serviço Gestão de Compras da Vice-Direção de Desenvolvimento Institucional e Gestão da ENSP (Escola Nacionalo de Saúde Pública Sérgio Arouca, vinculada à Fiocruz), Rejane Tavares, participou de dois eventos sobre questões ambientais: uma oficina organizada pela Secretaria Executiva da Rede Amigos da Amazônia e Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, que aprofundou o debate sobre o caminho da madeira Amazônica desde a floresta até o consumidor; e do I Fórum de Compras 2011, realizado pela Diretoria de Administração (Dirad), que abordou temas da área de compras, em especial, sobre compras públicas sustentáveis. 

O Fórum de Compras da Dirad, realizado de 31 de março a 1 de abril, contou com a participação de compradores, fornecedores, fiscais e gestores de contratos de todas as unidades da Fiocruz. Além de Rejane, a ENSP esteve representada pelo administrador Charles Bezerra, alguns compradores (Aline Alves, Antonio Thomaz, Mariza Prata) e pregoeiros (Elza Mendonça e Sergio Cavalcante). O evento teve como objetivo patrocinar a interação e integração dos profissionais visando resgatar o debate e a disseminação de idéias e procedimentos entre Unidades e apresentar aos fornecedores os procedimentos, exigências da Fiocruz e ratificar o papel público da Instituição. 

A responsável do Serviço de Gestão de Compras e Contratos participou da mesa de debate, junto com o diretor de Gestão do Jardim Botânico/Ministério do Meio Ambiente, Renato Cader, o responsável pelo Departamento de Compras da Dirad, Jorge Pessanha, a chefe do Serviço de Administração de Compras da Dirad, Isabel Fortuna, e o chefe do Serviço de Programas e Projetos Integrados da Dirac, Tatsuo Shubo. As Compras Públicas Sustentáveis foram o foco central do debate e fomentaram uma importante discussão sobre o novo modelo de gestão sustentável nas áreas de compras das Unidades da Fiocruz e do Jardim Botânico/M.M.A. 

No segundo dia de atividade, Rejane proferiu uma palestra sobre o tema Compras Públicas Sustentáveis, que abordou a introdução sobre os problemas ambientais mundiais; a importância e o conceito das compras públicas sustentáveis; os exemplos de iniciativas no campo da sustentabilidade ambiental - setor público e privado; as principais conferências internacionais sobre meio ambiente; os aspectos jurídicos das Compras Públicas, e a gestão ambiental e Ciclo de vida dos produtos.  

O que compras públicas tem a ver com sustentabilidade? 

O evento "Madeira de ponta a ponta - O caminho desde a floresta até o consumo", realizado no dia 29 de março, contou com a participação de empresários da indústria madeireira, ambientalistas, jornalistas, acadêmicos, representantes de ONG's, sociedade civil, autoridades governamentais, representantes da administração pública federal, estadual e municipal. Estiveram presentes também autoridades como o embaixador britânico Alan Charlton, o primeiro conselheiro da União Européia, Angel Landabaso, e o secretário estadual de Floresta do Acre, Carlos Ouvídeo. 

Segundo Rejane, o evento foi pidido em duas partes. Na primeira foi realizada uma oficina que aprofundou o debate sobre o caminho da madeira Amazônica desde a floresta até o consumidor e o lançamento de uma publicação. A segunda parte foi fechada e teve o objetivo a troca de experiências, disseminação de práticas e discussões sobre os principais problemas da floresta Amazônica. "Questões sobre fiscalização, controle no transporte e contratações públicas foram temas que também permearam o debate e a oficina de trabalho promovida para os membros da Rede Amigos da Amazônia", disse.  

Para Rejane, como a ENSP é uma instituição cuja missão está voltada para a saúde da população brasileira, "tem por obrigação rever as suas formas de contratação, neste caso específico, da compra da madeira ilegal, incluindo nos editais de licitação da Fiocruz cláusulas que eliminem a compra de madeira de origem ilegal ou de desmatamento criminosos, criando assim condições de mercado para que a madeira seja produzida de forma sustentável na Amazônia, dentre outras contribuições que os acadêmicos da Instituição poderão abordar melhor", ressaltou ela. 

Para Rejane, os próprios leitores podem contribuir de alguma forma com a redução da exploração madeireira. Uma dica é a é a leitura do livro "Madeira de ponta a ponta - O caminho desde a floresta até o consumo", que encontra-se disponível em PDF no site www.fgv.br/ces/raa, gratuitamente. A publicação documenta a prática madeireira na Amazônia e reflete sobre a importância de todos os atores envolvidos desde o manejo de áreas de extração até o uso da madeira legal e certificada pelo consumidor final 

Realização

  

Parceiro

Apoio

Apoio Institucional

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede